quarta-feira, 27 de julho de 2011

O dia de Bach!

Passei um tempo na Alemanha, para um congresso na pequena cidade de Ilmenau, que ninguém conhece, especialmente a maior parte dos alemães.

O legal mesmo foi o dia em que fui para Eisenach, como parte da convenção, para visitar o museu do Bach. Muito legal o museu, tinha até um manuscrito original (será que era mesmo?) de uma música, em uma caixa dourada.




A parte mais legal da cidade, porém, foi depois do museu. Minha próxima tarefa, porém, era encontrar o hotel em que eu iria passar a noite.
As indicações que eu tinha eram, basicamente, "ir até ali e virar à direita". Ok, mas nenhuma rua parecia muito convidativa para virar à direita. Perguntei para um cara na rua, ele me disse que tinha que andar duzentos metros e virar à direita. Mas aparentemente aquela rua era uma escadaria gigante. Desacreditei e passei reto. Perguntei denovo, e a indicação que recebi foi: "first street on your left (ou seja, aquela mesma da escada) and, then, UP!". Ok. "Up".

Cada curva que eu fazia, eu tentava encontrar alguém pra perguntar, até porque cada rua errada iria ser uns 10, 20 metros de subida jogados fora. E eis que olhei pro lado e vi que estava num lugar que claramente era uma vila renascentista. Tomando cuidado para não aceitar nenhuma maçã de velhinas aleatórias, eventualmente encontrei meu hotel.

Meu quarto era minúsculo:
 

Mas ele tinha essa vista:

 

Já estava tarde para subir no castelo (eram 20h!), então eu dormi. Antes disso, jantar. Foi um jantar vegetariano (e então economizei alguns euros). Nota mental: castanha de caju (ou o que quer que fosse aquilo...) no arroz fica sensacional.



Dia seguinte, fui eu rumo ao castelo de Wartburg, que foi o lugar onde o Martinho Lutero inventou o protestantismo.
 

O que eu não sabia é que o lugar é tombado pela UNESCO, e que tem muitas coisas legais que aconteceram lá dentro. Foi lá que viveu uma santa chamada Elizabeth, que viveu uma vida beata cuidando de crianças doentes, fundou o primeiro hospital da região e morreu aos 24 anos (ou seja: viver uma vida beata na idade média dá 3 anos de vida a menos que usar incessantemente drogas pesadas nos tempos modernos). Também teve um certo concurso de canto em que o perdedor seria executado - uma espécie de Ídolos para fãs da inquisição.

4 comentários:

  1. Fenomenal, T! Poste mais fotos da viagem! :)

    E o congresso, como foi?

    [[]]s!

    ResponderExcluir
  2. O congresso foi ótimo! Aprendi que eu não consigo entender algumas palestras, mas que isso é tudo bem, porque claramente não sou só eu, hehehe!

    ResponderExcluir
  3. mano muito massa a viagem!!
    curti o idolos macrabros, e o fato deles terem usado a partitura do bach como jornal pra cachorro mijar!!!
    se cuida meu irmão!

    ResponderExcluir
  4. É, e usam a estátua dele pras pombas cagarem ahuahauha!
    Bach, cuspiro e escarrado!!! :D

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário